Destaques

  • Edição Especial da Revista ENSIN@ UFMS –  Profmat: Contribuições para o Ensino de Matemática

    A Revista ENSIN@ UFMS apresenta uma Edição especial com temática Profmat: Contribuições para o Ensino de Matemática, organizado pelos professores Fernando Pereira de Souza (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campus de Três Lagoas), Rinaldo Vieira da Silva Júnior (Universidade Federal de Alagoas, Campus de Arapiraca) e André Vicente (Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Campus de Cascavel).  Essa edição temática é dedicada aos professores de Matemática da Educação Básica, que não mediram esforços durante o ano de 2021 para ensinar por meio da modalidade do Ensino Remoto Emergencial, devido ao contexto da pandemia da covid-19.     Acesse a publicação aqui: v. 2 n. Esp. (2021): Edição Temática – Profmat: Contribuições para o Ensino de Matemática | Revista Ensin@ UFMS

    Leia Mais
  • Professora Egressa do Profmat – UFAL utiliza dados de Messi para facilitar aprendizado de matemática

    Claricy Alves da Silva é professora na cidade de Santana da Ipanema, em Alagoas, e ensina matemática há 19 anos. Ciente da dificuldade de alguns alunos em aprender a matéria, a educadora decidiu usar um artifício para aproximar os cálculos e números da realidade dos seus alunos. “A matemática já tem essa visão, de preconceito. Quando a gente, na sala de aula, já é o carrasco antes mesmo de passar na porta. Então até você mudar essa ideia nos alunos é difícil”, disse Claricy em entrevista ao UOL. A professora da rede estadual decidiu usar as estatísticas de Lionel Messi para ajudar os alunos do 2º ano do Ensino Médio a entender a matemática. Ela usou dados de chutes a gol e probabilidade de acerto do argentino que atua no PSG. “O material tem uma trave que tem pontos azuis [erros] e laranjas [gols]. Esses pontos dão ideia da posição de onde ele chuta e de onde ele acerta mais. A ideia era que eles notassem onde o Messi atuava melhor baseado nesses dados. Essa atividade não tem resposta certa, eles tinham que interpretar.” Na atividade, Claricy relatou que ao analisar as estatísticas, os alunos refletiram sobre o potencial das finalizações de Messi. “Como era uma questão aberta, eles começaram a chegar a algumas conclusões: ‘Será que ele erra isso tudo mesmo?’ ‘Então ele é persistente porque se ele erra tudo e mesmo assim, ele é o melhor do mundo, então é porque ele não desiste’, coisas do tipo”, conta a professora. “O bom desse tipo de atividade é que não tem [resposta exata]. Realmente ele vai pensar, como a gente diz, fora da caixinha mesmo. Não é aquela equação que o x vai ter que dar 10 e todo mundo vai encontrar 10. É a maneira como cada um visualiza. A mentalidade trabalha a valorização do erro e trata o erro de forma diferente para que eles se sintam mais acolhidos e tenham mais oportunidade de falar, mostrar que todo mundo é capaz, mas que precisa das condições necessárias, do apoio, do estímulo”, explica. Além de estimular o interesse dos alunos, a educadora revelou que este tipo de ação consegue até mesmo despertar a atenção dos alunos mais introspectivos. “Um aluno que até então não falava e tinha dificuldade de falar nas aulas me chamou atenção. Ele não joga futebol, mas joga muito videogame, então sabia praticamente todos esses dados de Messi, que ele é esquerdo, onde joga, quais ligas participava, ele sabia explicar como funcionam as ligas”, contou. Nesse sentido, Claricy considera que o uso de ferramentas como o esporte podem potencializar o aprendizado e gerar uma discussão saudável entre os estudantes em sala de aula. “A gente fez até uma feira ‘Matemática e Esporte’, só relacionando essa questão de onde a matemática entrava nos esportes. Fizemos um trabalho bem detalhado de natação. Por que o atleta fica naquela posição? O que acontece com os braços dele quando trabalham naquela posição? Qual era o ângulo do braço para ele ter maior impulso? Também entrou a questão do basquete, da parábola para acertar a bola na cesta. A gente já fez medição da quadra de basquete, calculou direitinho, pesquisou qual o tamanho indicado para construção das quadras e descobriu que a quadra da nossa escola não estava de acordo com as instruções”, lembra. “Quando a gente fala de outros esportes, eles têm dificuldades para entender porque aqui, principalmente no interior, tanto meninos quanto meninas têm paixão maior por futebol ou futsal. Natação é difícil e não tem investimento em quadras de outros esportes. [futebol é] O que eles mais conhecem e o que mais gostam e é o que eu aproveito mais.”, ressalta. Além de Messi, a professora também já usou a tabela do Campeonato Brasileiro para mostrar o lado estatístico e repleto de cálculos do futebol, no qual as equipes precisam as chances de classificação, rebaixamento e título. Com isso, Claricy entende que consegue aproximar a matemática com assuntos que estão no cotidiano dos alunos. “Quando não faz sentido, a chance de sucesso é quase nula”, afirma. Reprodução ISTOÉ

    Leia Mais
  • Egresso do PROFMAT-UFC vence o “Oscar dos quadrinhos” do Brasil na categoria dissertação de mestrado

    A matemática pode ser um bicho-papão para muita gente. Mas para quem tem a sorte de estudar com o Prof. José Gleison Lima da Silva, o aprendizado se dá de forma lúdica e atraente. E suas ideias renderam prêmio nacional. Como egresso do Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional (PROFMAT), da Universidade Federal do Ceará, ele venceu o 33º Troféu HQMIX, o “Oscar dos quadrinhos” do Brasil, na categoria Dissertação de Mestrado, com o trabalho “Matemática Básica em Quadrinhos: Algumas aplicações das HQs em sala de aula”, feito sob orientação do Prof. Marcelo Ferreira de Melo. O Troféu HQMIX é concedido em diversas categorias pela Associação dos Cartunistas do Brasil (ACB) e a solenidade de premiação ocorreu no formato virtual no último dia 27, com transmissão pelo canal do YouTube da unidade do Centro de Pesquisa e Formação do Serviço Social do Comércio (SESC), em São Paulo (SP). A descontraída cerimônia teve apresentação de Serginho Groisman, padrinho do evento, e da dupla Gual e Jal, criadores do troféu “Bruxinha” – personagem da desenhista e escritora Eva Furnari, que foi esculpido pelo artista Wilson Iguti e entregue aos vencedores. “Ser reconhecido pelo nosso trabalho é um estímulo para continuarmos lutando por transformar vidas, a começar pela nossa. É gratificante por levar esperança aos meus alunos, colegas professores e a todos que ainda acreditam na educação apesar da ignorância de muitos. Nesse contexto, a UFC me proporcionou uma formação sólida na qual aliei minhas aptidões para retribuir à sociedade o que me foi dado gratuitamente e com qualidade”, expressa o premiado. QUADRINHOS EM SALA DE AULA – A dissertação de Gleison resulta de trabalho desenvolvido por ele em 2019 na Escola de Ensino Médio Santo Afonso, no bairro Parquelândia, em Fortaleza, onde leciona desde 2010. “Trata-se da produção de histórias em quadrinhos (no formato de tirinhas) com conteúdo matemático estudado em sala de aula. Eu aplicava esse projeto dentro das aulas tradicionais sem abdicar das exposições, exercícios, correções etc. Era uma ferramenta a mais para estimular o estudo da matéria através da arte e ajudar a tornar a matemática menos assustadora”, conta o professor. No trabalho acadêmico premiado, ele também apresentou uma aplicação dos quadrinhos para divulgar a solução de um problema proposto por seu orientador, Prof. Marcelo Melo, mostrando ser possível o uso desse recurso em qualquer nível de conhecimento. Na dissertação, Gleison abordou ainda a questão da “batalha desigual”, segundo ele, que os professores, principalmente os de matemática, enfrentam diante da diversidade de atrações ofertadas pela cultura de massa “via séries, filmes, livros e outras tantas maneiras de divertir que são muito mais atrativos às crianças e jovens do que estudar os conhecimentos ‘enfadonhos’ que a escola ainda tenta ensinar”. Diante disso foi que ele propôs: “por que não usarmos essa mídia como nossa aliada? Por que não fazer dos quadrinhos nosso aliado na percepção de que nós somos seres matemáticos e por isso estudar matemática é também aprender a ser mais humano?” O mestre conclui a dissertação apresentando sua “proposta de divulgação da Matemática através das HQs tomando como exemplo as revistas da Turma da Mônica que ainda hoje são usadas para alfabetização e incentivo à leitura”. O professor comenta que “é consenso entre muitos que a escola deveria ter mudado há décadas. Infelizmente, os professores e alunos não são ouvidos nessas mudanças. Basta ver a proposta do novo Ensino Médio que está sendo implementada de uma hora para outra de maneira impositiva e sem o devido diálogo.” Considera que há propostas interessantes, “mas que deveriam ter sido construídas com toda a comunidade escolar e não seguindo essa estrutura que ainda impera: as ordens vêm e nós devemos obedecer”. Defende, assim, um maior diálogo entre os conteúdos ensinados e a realidade. Entre a universidade e a escola. Entre a diversão e a coisa séria. Entre o prazer e dever…”. HERÓIS NA ESCOLA – Na solenidade virtual, ao agradecer o prêmio, o Prof. Gleison Lima, bem-humorado, com camiseta e máscara de super-herói, expressou com emoção: “Eu não sou super, muito menos herói. Eu sou professor e nos últimos anos enfrentei muitas batalhas”. Revela que produzir a dissertação foi a mais fácil delas porque diz que teve o apoio de “gigantes que me colocaram em seus ombros”. E é a seus professores, familiares, amigos, companheiros de trabalho, amantes das HQs, da matemática e das linguagens, e, especialmente, aos seus alunos da Escola Santo Afonso que ele dedica o prêmio. Agora, o Prof. Gleison segue sua jornada de ensino e divulgação da matemática, “escrevendo histórias ambientadas no universo dos meus alunos no qual a Matemática aparece de maneira orgânica, natural” e na peleja para fazer com que o projeto da sua revista Os Novos Pitagóricos saia no papel. Reprodução: Portal da UFC

    Leia Mais
  • I Encontro Gaúcho do PROFMAT

    O I Encontro Gaúcho do PROFMAT é uma iniciativa das Instituições Associadas do PROFMAT do estado do Rio Grande do Sul, composto por FURG, UFSM, UNIPAMPA e IFRS-Canoas.O Evento contará com apresentação de trabalhos, sessão de pôsteres, mesa redonda e palestras. Acontecerá nos dias 05 e 06 de novembro de 2021, no formato online, transmitida pela FURG na plataforma Youtube. As inscrições na categoria de Ouvinte estão abertas. Mais informações em https://egprofmat.furg.br/

    Leia Mais
  • 4° Workshop do Mestrado Profissional em Matemática da UFSJ

    O PROFMAT, campus São João del-Rei, da Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ), está organizando a quarta edição do Workshop do PROFMAT-UFSJ entre os dias 19 e 20 de novembro deste ano. Este Workshop propõe realizar divulgação científica, propiciar a interação de discentes, ex-discentes, docentes do PROFMAT-UFSJ e comunidade acadêmica em geral, bem como possibilitar a troca de experiências entre instituições associadas do PROFMAT. A página do evento para efetuar as inscrições, já abertas, encontra-se em: https://ufsj.edu.br/iv_wprofmat/ Nesta Edição do Workshop da UFSJ, a Comissão Científica também receberá artigos completos relacionados com as orientações dos Trabalhos de Conclusão de Curso dos PROFMAT, a nível nacional. Para isto, a Revista RMAT – Revista de Matemática da UFOP, ISSN: 2237-8103 abrirá Edição Especial para publicação dos artigos aceitos neste certame.

    Leia Mais